Avaliação das intervenções farmacêuticas relacionadas a antimicrobianos: Farmacoeconomia e Stewardship

Introdução

A história da medicina testemunhou avanços extraordinários com a introdução dos
antimicrobianos, resultando em melhorias significativas nos desfechos de pacientes com
infecções e um notável aumento na expectativa de vida global. Entretanto, a gestão
inadequada e o uso indiscriminado desses medicamentos acenderam o alarme da
resistência bacteriana, um fenômeno que caracteriza a capacidade dos microrganismos
de se adaptarem ao ambiente em que vivem. Os programas de Stewardship de
antimicrobianos têm como missão primordial manter sob controle as taxas de resistência
bacteriana nos hospitais, através da restrição do uso de antimicrobianos de amplo
espectro e da adaptação das terapias ao perfil de sensibilidade dos patógenos isolados,
sempre que possível. Em paralelo, a farmácia clínica desempenha um papel crucial na
promoção do uso racional de medicamentos, independentemente de sua classe, com o
intuito de aprimorar a terapia e fortalecer a segurança do paciente. É relevante notar que
os antimicrobianos constituem uma fatia considerável dos custos totais com
medicamentos, sendo superados somente pelos quimioterápicos e imunoterápicos. A má
administração desses medicamentos frequentemente resulta em desfechos clínicos
desfavoráveis, especialmente nos tratamentos de infecções causadas por germes
multirresistentes (GMR), que não apenas são onerosos, mas também podem ser mais
tóxicos. Portanto, compreender detalhadamente o perfil de utilização de antimicrobianos é
crucial para assegurar a sustentabilidade da instituição de saúde, tornando-se, assim,
imperativo agir proativamente para aprimorar esse cenário. O estudo em questão
compilou e analisou intervenções farmacêuticas relacionadas ao uso de antimicrobianos,
realizadas durante o período de abril a julho de 2023, revelando reduções no espectro de
atividade desses medicamentos e economias substanciais como resultados tangíveis
dessas intervenções.


Metodologia

Estudo transversal e retrospectivo em que, por meio do software NoHarm®, plataforma de
Inteligência Artificial (IA) utilizada pela Farmácia Clínica, compilou-se as intervenções
farmacêuticas aceitas pelo corpo clínico. Após a extração, foram selecionadas somente as
intervenções correlatas a medicamentos antibacterianos, antivirais ou antifúngicos. Por
fim, de forma manual, todas as intervenções foram avaliadas individualmente no que se
refere a redução de espectro antimicrobiano. Ademais, contabilizou-se a
farmacoeconomia proveniente destas.


Resultados

Efetuados os processos metodológicos, os seguintes resultados foram obtidos. Das 271
intervenções, sendo 219 prescrições diferentes. Destas, 21 culminaram em redução de
espectro de atividade. Ademais, estimou-se economia de R$ 59.001,44.
Além disso, estratificou-se as intervenções por motivo. Bem como, por medicamento.

Com isso, evidenciou-se que o motivo de intervenções mais prevalente foi ajuste de frequência por função renal, ao passo que o medicamento que mais demandou intervenções foi o meropenem.

Conclusão

Diante do exposto, reitera-se a importância do Stewardship de antimicrobianos, não somente do ponto de vista assistencial (pela capacidade de mitigar a emergência de germes multirresistentes), mas também no que se refere à farmacoeconomia, haja vista os valores expressivos obtidos em diminuto intervalo de tempo. Isso destaca a necessidade contínua de promover práticas responsáveis de prescrição e administração de antimicrobianos, visando tanto à saúde dos pacientes quanto à sustentabilidade econômica da instituição de saúde. Portanto, a conscientização e o compromisso com o uso racional de antimicrobianos devem ser prioridades na prática clínica.

Autores: BOARO, Fernando; NUNES, Bruno Giumelli; BRUSCATO, Diana Saiara

Avaliação das intervenções farmacêuticas relacionadas a antimicrobianos: Farmacoeconomia e Stewardship
Role para cima