Boletins Informativos de Dispensários Eletrônicos: Relato de Experiência na Redução de Retiradas por ‘override’ de Medicamentos Controlados e de Alta Vigilância

Resumo: Este trabalho relata a experiência do envio de boletins informativos sobre dispensários eletrônicos pela equipe de farmácia e o seu monitoramento da função ‘override’, ou seja, retirada pela equipe de enfermagem de medicamentos que não constam em prescrição médica, em especial da classe de medicamentos controlados e de alta vigilância.

Palavras-chave: Automação, dispensários eletrônicos, segurança do paciente

Introdução: A implementação de novas tecnologias nos processos de dispensação e administração de medicamentos vem sendo cada vez mais indicada por organizações altamente comprometidas com a segurança do paciente, e os dispensários eletrônicos, que são equipamentos informatizados que auxiliam no armazenamento e na dispensação de medicamentos e materiais médico hospitalares. É uma inclusão tecnológica na área da saúde considerada benéfica para a segurança do paciente, pois sua utilização de maneira adequada, permite um controle do estoque e a rastreabilidade dos itens retirados e administrados (ISMP, 2019). Uma das funcionalidades dos dispensários eletrônicos é a função ‘override’ ou substituição crítica que permite a retirada pelo enfermeiro de medicamentos previamente cadastrados sem prescrição médica. Alguns medicamentos da classe dos controlados e de alta vigilância podem ser habilitados nos dispensários para que a retirada em ‘override’ ocorra em casos de maior necessidade e urgência na administração onde não há tempo hábil para prescrição prévia do medicamento. Contudo, a segurança do paciente precisa estar sempre em evidência e alternativas como alocação dessas classes de medicamentos em compartimentos de maior segurança, a obrigatoriedade na contagem prévia a cegas antes da retirada do medicamento, bem como o monitoramento dessas ações são algumas das barreiras que podem ser utilizadas como estratégias para o uso seguro de medicamentos com foco na minimização de erros de medicação (CARVALHO, 2018; DELIBERAL, A.P., 2018).

Objetivos: Relatar a experiência no envio de boletins informativos referente às movimentações que ocorrem em 26 dispensários eletrônicos distribuídos em andares de internação de um hospital privado da cidade de São Paulo com capacidade média de 480 leitos. Com o intuito de auxiliar o monitoramento e redução de retiradas por ‘override’ de medicamentos controlados e de alta vigilância pela equipe de enfermagem.

Método: Obtenção de dados das retiradas na função ‘override’ para medicamentos controlados e de alta vigilância presentes em 26 dispensários eletrônicos durante os meses de julho a dezembro de 2022, através de relatório de dispensação de medicamentos emitido pelo software Pyxis Enterprise Server®. Confecção de boletins informativos aos usuários, contendo dados dos relatórios.

Resultados: A retirada de medicamentos na função ‘override’ somando a movimentação em todos os 26 dispensários eletrônicos disponíveis nas unidades de internação do hospital, em julho de 2022 era de 263 para medicamentos controlados e 176 para medicamentos de alta vigilância. Em dezembro do mesmo ano, essas retiradas correspondiam a 155 e 134 respectivamente. Nesses 6 meses de monitoramento e divulgação mensal através dos boletins informativos dos dispensários houve uma redução de 41,06% de retiradas em ‘override’ de medicamentos controlados e 23,86% para medicamentos de alta vigilância.

Gráfico 1

Conclusões

Observou-se que após o envio mensal dos boletins informativos dos dispensários eletrônicos de medicamentos, houve uma redução significativa das retiradas na função ‘override’ de medicamentos das classes dos controlados e de alta vigilância pela equipe de enfermagem. Considera-se que o uso de tecnologias e automação em farmácia hospitalar é uma importante estratégia para prevenção de erros relacionados a medicamentos e que a conscientização de retirada de medicamentos que não estejam em prescrição médica pode contribuir para que a segurança do paciente não seja comprometida.

Referências

CARVALHO, M.F. Análise da efetividade do sistema de dispensação eletrônica de medicamentos: revisão sistemática e metanálise. Rio de Janeiro, 2018.  Disponível em: <http://www.unirio.br/ppgenfbio/arquivos/teses-arquivos/59-marglory-carvalho>. Acesso em: março, 2023.

DELIBERAL, A.P. Segurança do paciente na implantação de dispensários eletrônicos: análise da função “override” e o impacto no estorno de medicamentos. Porto Alegre, 2018. Disponível em: < https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/180201>. Acesso em: março, 2023.

INSTITUTE FOR SAFE MEDICATION PRACTICES (ISMP). Guidelines for the Safe Use of Automated Dispensing Cabinets. 2019. Disponível em: <https://www.ismp.org/resources/guidelines-safe-use-automated-dispensing-cabinets>. Acesso em: março, 2023.

Autor: SILVA, Rafaeli

Boletins Informativos de Dispensários Eletrônicos: Relato de Experiência na Redução de Retiradas por ‘override’ de Medicamentos Controlados e de Alta Vigilância
Role para cima