logistica hospitalar

Uma história que merece ser contada…

Era 2008, Victor Basso e Moisés Curvello, fundaram a Opuspac. Ambos os engenheiros somavam 50 anos de experiência empresarial. Começaram com uma pequena planta, de 130 m², e um técnico. Tudo nesta empresa desenhou-se do zero, sem imitação alguma. Victor afirma que não sabe repetir um desenho. Somente assim se constrói um produto diferenciado e […]

Sabia que é possível reduzir custos com unitarização de meds e identificação de mats e meds?

Manter os materiais com código serial permite um controle confiável para incluir as despesas na conta de cada paciente e assim justificar adequadamente cada gasto.

Rastreabilidade de Medicamentos: desafios e impactos para a cadeia da saúde

Em 2009 foi publicada a lei 11.903 determinando a criação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (SNCM), desde a produção até o consumo. O rastreamento de medicamentos será por meio de tecnologia de captura, armazenamento e transmissão eletrônica de dados, dos produtos farmacêuticos em todo território nacional.

Você realmente conhece sua logística hospitalar com todos os números deste fluxo?

É impossível melhorar o esquema do fluxo logístico sem uma clareza de todo o processo, com as quantidades que circulam em cada setor e sua classificação, ao qual denominamos de Projeto Logístico do Hospital.

Medir os tempos dentro do hospital ou jogar milhões pelo ralo?

Hoje mais que nunca, um hospital é um local multiprofissional onde convivem gestores, advogados, engenheiros clínicos, administradores, gerentes de logística, especialistas de recursos humanos, todos colaborando para que a complexa “máquina hospitalar” e o trabalho profissional dos médicos possam ser realizados nas melhores condições.

Como decidir entre logística hospitalar centralizada ou distribuída? E evitar gastar milhões a mais!

Atualmente a palavra centralizada parece que está muito valorizada. Temos ouvido falar muito de medicina centrada no paciente, ela induz tratar o paciente como um todo e não em forma fragmentado por doenças. Porém, a distribuição centrada ou centralizada no paciente, não possui relação com a medicina centrada.

Já tenho o código de barras na ampola, é possível melhorar isso?

Uma grande quantidade de ampolas sempre tiveram um código de barras linear.
Mas agora, temos vários medicamentos em ampolas com código de barra Datamatrix (código de barra bidimensional) e o que nos acrescentam estes códigos de barras? Eles adicionam aos dados que já possuíamos o número de lote e data de validade, além de um baixíssimo índice de erros.

Role para cima